Você é produto do que você compartilha?

By Setembro 14, 2018 Economia Colaborativa No Comments

Você é produto do que você compartilha?

Quando tive o insight deste artigo, até pensei em utilizar a palavra “fruto” ao invés de PRODUTO, mas não encaixaria no propósito que eu tinha com essa reflexão. Pois, quero levá-lo(a) a pensar realmente como um produto do meio, ou melhor, como resultado do você absorve e compartilha.

Sou o produto do que compartilho. Mas, não era. No entanto, quando percebi que estava consumindo uma quantidade de conteúdos, muito além do que antes eu consumia e não só nas mídias, mas em livros e palestras que eu participava, eu me senti como uma pequena “estrela” em expansão. Veja bem, não é uma estrela do rock, do pop, da Disney ou de hollywood. Nada disso!

Caso você não saiba, outra paixão que tenho é a astronomia, na infância queria ser astronauta, então, ao longo da minha juventude li muito sobre astros, estrelas, nebulosas, buracos negros e OVNIS. Posso dizer que sou uma curiosa do assunto ou como um amigo meu disse: Existe uma NERD dentro de você.(risos)

Então, vou tentar explicar brevemente o que é uma estrela em expansão. É um processo que as estrelas passam ao longo da sua vida, onde as camadas externas entram em expansão com o material interno da estrela, se misturando pela turbulência das proximidades das regiões de fusão, até a superfície da estrela. Basicamente é isso, mas se você quiser se aprofundar click aqui.

Nebulosa olho de gato, uma nebulosa planetária formada pela morte de uma estrela.

Ou seja, eu estava entrando em turbulência com o conteúdo que eu consumia e o que já existia dentro de mim. Não dava para “desver” o que meus “olhinhos famintos” tinham absorvido. Eu precisava compartilhar com o mundo o que eu tinha aprendido e as várias oportunidade que eu tinha descoberto.

Pois, as palavras têm o poder de abrir nossos horizontes, romper barreira e construir pontes. Transformar conexões em grandes amizades e parcerias. Se você deseja se inspirar com o poder das palavras, uma boa dica é o filme “Sociedade Literária e a torta de cascas de batatas” disponível na Netflix.

Realmente é um filme para se inspirar a acreditar que as palavras e nossas atitudes são peças em grande tabuleiro que se chama vida. No filme”Juliet Ashton (Lily James) é uma jovem escritora, com falta de inspiração, que logo após a Segunda Guerra Mundial recebe uma carta de um membro da misteriosa Sociedade Literária de Guernsey, uma organização formada durante o período de ocupação nazi. Curiosa, Juliet decide ir até às ilhas de Guernsey e encontra-se com os excêntricos membros da Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata, entre os quais se encontra Dawsey (Michiel Huisman), o charmoso e intrigante agricultor que esteve na origem da carta.”

Mas voltando as palavras que me inspiraram, para minha surpresa, fui descobrindo que existia um “mundo” de profissionais que viviam a mesma inquietação que eu. Percebi então, que minhas dores eram compartilhadas por outras pessoas também e que elas só mudam de estado, cidade e região.

Lendo o livro VOCÊ É O QUE VOCÊ COMPARTILHA – Gil Giardelli, eu realmente tive a consciência, de que, o que compartilhamos vai mudando nossa forma de pensar e vamos trazendo essas características para nosso dia a dia.

Então, eu lhe pergunto: O que você consome, é o que você compartilha?

Ou você ainda está naquela de que, vida virtual e vida real são coisas diferentes? Desculpa aí! Mas não cola mais essa história. Não dá para ser Clark Kent das 08h00 as 18h00 e Superman das 19h00 as 07h00 da manhã. Somos o que somos e se já estamos na chuva, deixa molhar!

Se você é um dos consumidores de bons conteúdos, seja o produto do que você consome, multiplique as ideias que estão sendo germinadas aí dentro e espalhe novos conceitos. Faça a diferença na rede, na sua vida e por onde você passar.

Em minha busca, o À Mineira nasceu, encontrei a economia compartilhada e as várias formas de estar nela, desde plataformas em que você troca seu tempo por serviços prestados, a plataforma como Aibnb e outras semelhantes.

Quem vem acompanhando meus artigos, vêm descobrindo junto comigo, novas formas de consumir e isso é incrível. Precisamos assumir como “nosso” o meio em que vivemos, assumirmos nossa participação, não como coadjuvantes, mas como protagonistas. Se quisermos um mundo diferente, temos que começar agora, em nossas escolhas diárias.

Mas como?

Sabe quando você guarda o papel da bala no bolso, só porque você não tem um lixo para jogar? É disso que estou falando, você é menos 1 a jogar no chão e sujar nossas calçadas. Quando você toma banho em menos tempo do que seu normal, você está ajudando a consumir menos energia e água. Quando você escolhe um produto que é biodegradável, você está contribuindo para diminuir a agressão a natureza.

Parece insano? Utopia?…

Insano é pensar que grandes atitudes são só realizadas por grandes feitos. Pois, é de pequenas atitudes que salvamos o dia de alguém. Quando damos um “bom dia” para a atendente de cara “amarrada”, quando deixamos o assento disponível para uma senhora. Quando ajudamos alguém a subir uma escada ou damos uma indicação na rua.

Não estou falando de uma grande revolução, estou falando de feitos comuns, que de tão comuns passam despercebidos e parecem que perderam o seu valor. Só não perderá seu valor, se eu e você tomarmos como hábito nosso, fazer algo que seja relevante a longo prazo.

Isso é relacionamento, é disso que falo, é nisso que acredito. Quando falamos de Marketing, falamos de relacionamentos, quando falamos de eventos, falamos de relacionamento, onde existem pessoas é necessário que exista relacionamento, para que a vida ganhe sentido de ser. Porque quando nos relacionamos, nos colocamos no lugar do outro e aprendemos a colocar projetos e sonhos em pratica.

Valorizamos o que o outro tem de mais precioso, que são suas inspirações.

Talvez você nem esteja aqui para ver o resultado, talvez serão seus filhos e netos que vão viver em um mundo melhor, mas isso só pode acontecer se nós, deixarmos esse bom conteúdo que consumimos, ser transformado em atitudes.

Se cada um for produto do que consome, com tantos conteúdos fantásticos disponíveis na rede, tenho certeza que conseguiríamos ser um país melhor e se duvidar, um mundo melhor. #vamosjuntos?

Um grande abraço!

.

Author Ana

More posts by Ana

Leave a Reply

eventos, palestras, palestrantes, empresas