fbpx
was successfully added to your cart.

Aqui se vive a Mineiridade…

Compartilhe

Quando se fala de bom atendimento, mineiro vai além. Mineiro dá passos largos em bom atendimento, cordialidade e carinho. Ah! Que povo maravilhoso é esse! Temos um jeito todo peculiar de “amineirar” as coisas. “Amineiramos” tanto, que até quem não nasceu aqui, quando vem morar, logo se amineira.

Apaixonada por esse jeito, meio sem jeito de fazer das coisas simples, verdadeiras preciosidades. Venho convidar você a viajar comigo, em uma série de artigos que, vem apresentar onde se vive e verdadeira “mineiridade”.

Vou ao encontro de lugares e pessoas que vivem essa “mineiridade” em todos os sentidos. Buscando essa essência que tanto descrevo em meus textos. Para quê eu possa te convencer que, se você por acaso se perder por essas “bandas”, provavelmente, vamos amineirar “ocê”.

Nada melhor para acompanhar “dois dedos de prosa”, que um bom café e uma cesta de pão de queijo “frequin”. Melhor ainda se você estiver em um lugar que, te inspire a não ir embora. Em Minas há muitos cantinhos cheios de encanto. Lugar onde você sente essa “mineiridade” nos mínimos detalhes.
Onde você pode sentir a liberdade do interior, perceber que o relógio aqui anda em um compasso diferente, onde o tempo é um mero detalhe.

Esses lugares são verdadeiros Oásis em nossa vida corrida. Lugares como o Avenida Café, um café no centro de Caxambu. Famoso por seu acolhimento, por seu pão de queijo, por sua porção de tilápia e seu aconchego. Aqui se pode curtir o entardecer com musica ao vivo e observar a simplicidade do cotidiano mineiro. Seus donos nasceram para acolher, isso não tenho dúvidas! Sempre trabalhando com o público, fazem desse oficio uma vocação.

Pois, mineiro é assim, quando faz as coisas, faz com amor, com o coração e com a alma. Senão, nem começa! Talvez esteja aí, nosso segredo. Fazer das coisas simples, preciosidades. Raquel e Rafael nesses 3 anos na administração do café, fizeram de visitantes, verdadeiros amigos, mas antes de se administrarem o café, tiveram lanchonetes, ou seja, estão há muito tempo trabalhando com o público.

Porque acolher é mais que servir uma cesta de pão de queijo, é abrir o coração e deixa-lo ser morada.

É chamar de amigo o desconhecido, é sorrir na rua para um estranho. Assim vamos amineirando os caminhos por onde passa, alargando nosso coração, enchendo de vidas e histórias com cheirinho de café.

Então, se você quiser descobrir o que é essa tal “mineiridade”, eu te convido, vem tomar um café comigo e vamos trocar dois dedos de prosa, no Avenida CaféBora lá!?

 

Um grande abraço!!